terça-feira, 5 de setembro de 2017

Mundo lgbt em luto

A divina diva Rogéria falece aos 74 anos


Rogéria Barroso Pinto


A atriz morreu no Rio de Janeiro aos 74 anos, na noite de 4 de setembro de 2017. Em 13 de julho, a atriz havia sido internada, permanecendo por duas semanas em uma clínica em Laranjeiras, na zona sul do Rio, devido a uma infecção generalizada. Em 8 de agosto, Rogéria foi novamente internada no Hospital Unimed Barra, na zona oeste do Rio, devido a um quadro de infecção urinária e em 25 de agosto foi transferida da Unidade de Tratamento Intensivo do hospital para o quarto. Segundo o hospital, seu quadro clínico se agravou após uma crise convulsiva, seguida de um choque séptico, que foi a causa da morte.


Atriz, cantora, apresentadora, transformista.


A maquiadora de grandes estrelas da televisão brasileira se transformou em vedete de Carlos Machado. Rumo à Europa descobriu os encantos de Paris. Ganhadora do Troféu Mambembe no ano de 1979.


   
Memórias do Teatro Rival



O documentário Divinas Divas retrata a vida da primeira geração de artistas travestis no Brasil.Os censores da Ditadura vigiavam de perto os artistas do Teatro Rival pertencente a família Leal.



                                      


Lançou sua autobiografia aos 73 anos contando suas experiências no livro escrito por Márcio Paschoal da editora Sextante. Cinema, teatro e televisão contam a sua história no mundo das artes cênicas.

 

Leia mais:

“Rogéria — Uma mulher e mais um pouco”

Autor: Márcio Paschoal.

Editora: Sextante.

Páginas: 272.


https://pt.wikipedia.org/wiki/Rog%C3%A9ria

https://oglobo.globo.com/cultura/livros/aos-73-rogeria-conta-tudo-na-biografia-uma-mulher-mais-um-pouco-20348467

Nenhum comentário:

Postar um comentário